Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
  • Acessibilidade
  • Alto Contraste
  • Mapa do Site
  • PortugueseEnglishSpanishChinese (Simplified)FrenchGermanItalian
Página Inicial > Notícias > Vidas Negras Importam: NEABI do Campus Mangabeiras promove Live sobre discriminação racial e valorização da vida
Início do conteúdo da página Notícias

Vidas Negras Importam: NEABI do Campus Mangabeiras promove Live sobre discriminação racial e valorização da vida

A atividade será transmitida pelo perfil @carloselula no Instragram nesta sexta, 10.07, a partir das 18h.
  • Assessoria de Comunicação
  • publicado 10/07/2020 15h56
  • última modificação 10/07/2020 15h56

O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) do Campus São Raimundo das Mangabeiras do Instituto Federal do Maranhão (IFMA), em parceria com a com a Secretaria da Saúde do Maranhão promoverá, nesta sexta-feira, 10.07, a partir das 18h a live Vidas Negras Importam III. A atividade será transmitida pelo perfil @carloselula no Instragram.

A live terá a presença de Benedita de Cassia Ferreira Costa, Professora de Sociologia do campus São Raimundo das Mangabeira, doutoranda em Ciências Sociais, PPGSoc/UFMA e integrante do NEABI IFMA SRM e do psicólogo do município de Balsas Rômulo Mafra.

Movimento Vidas Negras Importam

O movimento Black Lives Matter (“Vidas Negras Importam”, em tradução livre) foi fundado em 2013 em resposta à absolvição de George Zimmerman, segurança de um hotel que atirou e matou o adolescente afro-americano Trayvon Martin, de 17 anos, na Flórida (EUA), em 2012 e não demorou muito para que o movimento tomasse as ruas dos Estados Unidos. O movimento busca combater o racismo recorrente na sociedade norte-americana e a violência por parte de agentes da lei, como policiais e seguranças, contra negros e afro-descendentes. Ao afirmar que vidas negras importam, o balcklivesmatter questiona a estrutura social e econômica que faz com que algumas vidas tenham mais valor do que outras nos EUA.

Trazendo esta temática para o Brasil atual busca-se  trazer o debate para a sociedade, na possibilidade de termos uma escola, um município e um estado que possa paulatinamente reduzir a discriminação racial e para reduzir tal discriminação, não bastarão leis, se não houver a transformação das mentalidades e práticas, daí o papel estruturante que adquirem as ações que promovam a discussão desses temas, motivem a reflexão individual e coletiva e contribuam para a superação e eliminação de qualquer tratamento preconceituoso.

registrado em:
Fim do conteúdo da página